sábado, 21 de outubro de 2017

Guaracava-de-bico-curto













Também conhecida como guaracava-de-bico-pequeno, guaracava-verde e tuque-pium. A guaracava-de-bico-curto é uma espécie de ave passeriforme da família Tyrannidae. Editar Nome Científico Seu nome científico significa: do (grego) elaineos = da cor de azeite, verde oliva; e do (latim) parvus = pequeno; e rostrum, -rostris = bico, com o bico. ⇒ (Ave) verde oliva com bico curto ou (pássaro) cor de azeite com bico pequeno.

  Características 

Mede 13 cm de comprimento. Pequena guaracava esverdeada com píleo verde e crista central branca (visível apenas em momento de excitação), peito e garganta cinzas e ventre branco. Suas asas apresentam duas barras brancas distintas. Virtualmente igual ao tuque (Elaenia mesoleuca) do qual se distingue apenas pela vocalização.

  Alimentação

Alimenta-se de frutos e de pequenos insetos.

  Reprodução

Reproduz-se no Sul em novembro e migra posteriormente para o Sudeste e o Centro-oeste da Amazônia.

  Hábitos

Vive solitária em bordas de matas, capoeiras, parques, cerrados e áreas semi-abertas. Assim como a guaracava-de-barriga-amarela, desenvolve um distinto canto de madrugada.

  Distribuição Geográfica

 Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Antilhas Holandesas, Paraguai, Peru, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai e Venezuela. No Brasil ocorre nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe, Tocantins e no Distrito Federal.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Tovacuçu







http://www.wikiaves.com.br



O tovacuçu é uma ave passeriforme da família Grallariidae. Também chamado de tovacuçu-malhado, tovaca-açu e tovaca-grande. Nome Científico Seu nome científico significa: do (latim) grallarius; grallae = aquele que anda sobre palafitas. palafita; e do (latim) varia; varius = diversas; várias. ⇒ (Ave) que anda sobre palafitas. “Roi des Fourmilliers de Cayenne” de Aubenton (1765–1781) (Grallaria).

Características

Mede 21 cm de comprimento e como o nome sugere é a maior espécie da família Grallariidae. Ave terrícola de cabeça e olhos grandes, corpo pequeno e cauda curta, pernas longas, fortes e esbranquiçadas. Pula pelo solo em postura reta e cauda levantada. O canto dessa ave é longo e de tom grave, e é emitido somente ao amanhecer e entardecer. Apesar de ser bastante ouvida em matas preservadas, é dificilmente observada.

  Alimentação

Captura suas presas sobre as folhas secas da mata. Alimenta-se de artrópodes em geral: aranhas, escorpiões, centopéias, lacraias, e insetos. Também come sementes e bagas de caruru (Phytolacea decandra). Corre atrás das formigas de correição, procurando comer os insetos que são espantados por elas.

  Reprodução

Nidifica próximo ao solo. O ninho tem formato de tigela aberta feito de material seco, (folhas e galhos), podendo ser colocada em cavidade em tocos, em folhas no chão da mata ou paus em baixa altura na vegetação. Esta espécie põe dois ovos azul-esverdeados,semelhantes ao ovos de Tinamus. Os pais se revezam na construção do ninho e cuidado com os filhotes.

  Hábitos

Habita em florestas úmidas, tanto a amazônica quanto a atlântica. Vive em mata alta e sombria em diversos tipos de clima. Na Mata Atlântica do Sudeste é mais comum em áreas montanhosas.

  Distribuição Geográfica

Presente no Brasil em grande parte da região Norte, além das áreas remanescentes de Mata Atlântica no Nordeste, Sudeste e Sul. Está ameaçada pela destruição das florestas tropicais.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Saracura-do-banhado









Fonte:http://www.wikiaves.com.br



A saracura-do-banhado é uma ave gruiforme da família Rallidae. Nome Científico Seu nome científico significa: do (grego) pardos = leopardo; e de rallus = referente ao gênero Rallus (Linaeus, 1758); e do (latim) sanguinolentus, sanguis, sanguinis = sanguinolento, sanguíneo, sangue. ⇒ (Ave) sanguinolenta do gênero Rallus, manchada (como um) leopardo. A palavra sanguinolentus refere-se a mancha vermelha que esta espécie apresenta na parte anterior da mandíbula.

  Características

Mede 32 centímetros. Muito semelhante a saracura-sanã (Pardirallus nigricans), mas com a base da maxila superior azulada e a base da mandíbula vermelha. Tem as pernas castanho-avermelhadas ou marrons.

  Alimentação

Alimenta-se de insetos e outros invertebrados, mas também vegetais.

  Reprodução

Nidifica sobre o capim, taboas ou sobre a vegetação à beira d'água. Choca de 4 a 6 ovos cor de campo bege, com pintas e ocelos castanhos.

  Hábitos

Habita brejos e banhados extensos. Oculta-se de dia nos brejos e sai ao anoitecer para áreas abertas e campos de cultivo a fim de capturar minhocas, insetos e grãos. Canta tanto de dia como de noite, responde prontamente ao playback do canto.

  Distribuição Geográfica

São localmente migratórias, ocorrendo nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Espirito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. Pode ser encontrada nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Ilhas Malvinas, Paraguai, Peru, Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul e Uruguai.

domingo, 2 de julho de 2017

Sanhaçu-pardo





http://www.wikiaves.com

O sanhaçu-pardo é uma ave passeriforme da família Thraupidae.

  Nome Científico

 Seu nome científico significa: do (grego) orkhëstikos = bom de dança, dançarino; e de abeillei = homenagem aos naturalistas e coletores de espécies franceses, M. Abeillé (fl. 1839) e sua esposa Félice. ⇒ Dançarino de Abeillé.

  Características

Mede entre 17 e 18 centímetros de comprimento e pesa cerca de 31,5 gramas (Sick, 1993). O sanhaçu-pardo tem coloração geral parda, apresentando coloração mais acinzentada na coroa, manto e uropígio. As asas e cauda são acastanhadas. A testa, lores, sobrancelha e face são de coloração canela (Ridgely e Tudor 2009, Hilty 2011). Na face, encontra-se uma fina e distinta faixa transocular escura que se estende desde o bico até a nuca. Seu peito e ventre é de coloração pardo-acanelada (Ridgely e Tudor 2009, Hilty 2011). A coroa, lores, e a listra transocular são castanho-acinzentados. As coberteiras das asas são olivaceas. A cauda é de comprimento médio. As íris são vermelhas (Sick, 1993). O bico robusto é curto, largo e escuro. Os tarsos e pés são cinzentos. (Hilty 2011). Os sexos são semelhantes. O imaturo da espécie é semelhante ao adulto apenas mais opaco na cor (Hilty 2011). ESPÉCIE SEM DIMORFISMO SEXUAL

  Alimentação

O sanhaço-pardo come insetos e frutas no dossel da floresta.

  Reprodução

Os ovos são forma oval regular, sem brilho. A cor é rosa-branco com manchas pálidas castanhas ou castanho-avermelhado escuro junto com algumas manchas arroxeadas, principalmente na extremidade maior. Os ovos medem 8,3 x 6,5 mm e 8,1 x 6,3 mm. 

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Piolhinho-chiador





Fonte:http://www.wikiaves.com.br



  Características

 Mede 12 centímetros. Diferencia-se de outras espécies do gênero Phyllomyias pelo píleo oliváceo e asas com marcas quase inconspícuas, sem faixas e bandas discerníveis. Seu bico é curto e massivo.

  Alimentação

Alimenta-se de artrópodes.

  Reprodução

Constrói seu ninho em forma de taça, nas árvores.

  Hábitos

Vive em florestas úmidas em matas primárias e secundárias altas.

  Distribuição Geográfica

Restrito ao Sudeste e ao Sul. Realiza migrações altitudinais, aparecendo ao norte de sua distribuição no Rio de Janeiro durante o inverno e ao Sul, durante o verão.

sábado, 14 de janeiro de 2017

Taperuçu-velho











Fonte:http://www.wikiaves.com.br/



O taperuçu-velho, também conhecido como andorinhão-velho e andorinhão-de-cascata, é uma ave apodiforme da família Apodidae. Nome Científico Seu nome científico significa: do (latim) kupselos = andorinha; e oidës = semelhante, aquele que parece com; e do (latim) senex = velho, com cabelos brancos, ranzinza. ⇒ (Ave) semelhante a uma andorinha velha.

  Características

Comprimento total: 18 centímetros (Sick 1993, Chantler 2000). Comprimento da asa : média de 160,5 ± 2,5 milímetros comprimento da cauda: média 46,0 ± 1,5 milímetros comprimento do tarso: média de 20,47 ± 0,05 milímetros Massa: significa 99,8 g (faixa de 86,1-110 g, n = 33, sexos combinados, Argentina; Dunning 2007) significa 67,8 g (faixa de 56-80 g, n = 8, sexos combinados, Brasil; Dunning 2007)

  Hábitos

Vivem às centenas, próximo de quedas d’água, sobre as quais voam. Durante o dia caçam voando alto sobre as matas.

  Distribuição Geográfica

Ocorre em Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Goiás, Bahia, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Espécie facilmente vista próxima às famosas Cataratas do Iguaçu, na cidade de Foz do Iguaçu - Paraná, divisa com a Argentina. Também ocorre no Paraguai e Argentina.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Taperuçu-de-coleira-branca












Fonte:http://www.wikiaves.com.br/




O taperuçu-de-coleira-branca é uma ave apodiforme da família Apodidae. Também conhecido como andorinhão e andorinhão-de-coleira. Nome

  Científico

 Seu nome científico significa: do (grego) streptos = colar; e Prokne = aquela que foi transformada em andorinha; e do (latim) zonaris, zona com origem no (grego) zönë = cinto, faixa, banda. ⇒ Andorinha com faixa no colar.

  Características

Mede cerca de 21 centímetros. Os taperuçus têm pés muito reduzidos que os impedem de pousar em fios de eletrificação ou galhos, como o fazem as andorinhas. Esta é a maior espécie da família e sua velocidade de voo pode alcançar 100 quilômetros por hora.

  Alimentação

 Alimenta-se basicamente de insetos, capturados em voo.

  Reprodução

O ninho, de fibras vegetais, musgos e pedrinhas aglutinadas com barro e saliva é fixado em paredões e escarpas de pedras ao redor de cascatas, grutas úmidas e escuras. O casal incuba e alimenta os filhotes.

  Hábitos

 Sempre sobrevoando florestas, campos e cidades. Quando o céu esta nublado ou está chovendo voltam para o esconderijo, saindo rapidamente um por um quando o sol aparece. Sobrevoa incêndios florestais ou em pastagens a procura de alimento.

  Distribuição Geográfica

Segundo Sick (1997) ocoorre em todo Brasil, faltando em regiões planas.